NotíciasPolítica

CNE diz que falta dinheiro para organizar autárquicas

A Comissão Nacional de Eleições (CNE) diz que ainda não tem dinheiro suficiente para pagar as despesas das autárquicas nos 53 municípios do país, marcadas para outubro de 2023. 

Segundo o porta-voz da CNE, Paulo Cuinica, faltam 30 milhões de euros. “Infelizmente ainda não se refletiram nas contas dos órgãos eleitorais, que estão neste momento apertados com os preparativos.”  

Eleições em todo o território?

Paulo Cuinica diz que o objetivo é realizar as eleições em todos os municípios, desde que haja condições. 

Mas o diretor-executivo do Instituto para Democracia Multipartidária (IMD), Hermenegildo Munjovo, acredita que será um desafio realizar eleições em muitas áreas da província de Cabo Delgado, “onde os conflitos tiveram maior impacto”.

Paulo Cuinica: “Órgãos eleitorais estão apertados com os preparativos”  

Segundo Munjovo, “é necessário olhar na perspetiva do que vai acontecer nas eleições, não só para recenseamento, como também no próprio dia da votação.”

“Será que estamos em condições de garantir que temos eleições em Cabo Delgado?”, questionou o responsável à margem de um encontro organizado, esta quinta-feira (28.04), pelo IMD para discutir os desafios dos pleitos eleitorais em Moçambique. 

O Movimento Democrático de Moçambique (MDM) entende que sim.

“Temos lá as nossas forças de defesa e segurança, e acredito que, até lá, estaremos em condições de fazer estes pleitos eleitorais”, afirmou o delegado político do partido em Maputo, Augusto Pelembe.

Transparência eleitoral

Os intervenientes querem igualmente que as autárquicas de 2023 sejam o escrutínio mais transparente de sempre e que ninguém se sinta injustiçado pelos resultados.

“Que estas eleições possam decorrer com normalidade dentro dos princípios constitucionais e de legalidade, assegurando a sua transparência e credibilidade”, disse Francisco Mucanheia, deputado da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO, no poder).

Para Saimone Macuiane, parlamentar da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), a lei já prevê todas as condições para que os resultados satisfaçam a todos. 

“Mas essas condições não são cumpridas. Nós, RENAMO, não sabemos até que ponto o novo elenco da CNE vai cumprir a lei”, acrescentou Macuiane.

Quaria News

QUARIA NEWS Quaria News é uma plataforma de jornalismo online com princípios democráticos ao dispor do País e ao mundo fora, que tem como principal objectivo assegurar ao leitor o direito de ser informado com verdade, rigor e isenção. Tudo o que a Quaria News traz é público, são informações de primeira, resultado de seu trabalho investigativo, originalmente feito por seus editores e jornalistas que depois tornaram público ajudando ao leitor a tomar a sua opinião. QUARIA NEWS fáz cobertura jornalistica com vista analítico de economia política, respeitando as diversas ideias, motor de desenvolvimento da nossa democracia. Para QUARIA NEWS a tecnologia não está para mudar a informação, pois muda e sempre mudará os meios de informação, A VERDADE SEMPRE PREVALECE. A QUARIA NEWS constitui sem prejuízo os seus valores e a sua vivacidade jornalistica, um traço de união entre todos os moçambicanos, independentemente das suas opiniões politicas, localização regional ou crenças religiosas, desempenhando um papel moderador de Conflitos que se manifestam na sociedade Moçambicana! A QUARIA NEWS concilia a sua vocação de órgão de grande informação através de vários meios de transmissão e difusão da mesma, com o seu papel tradicional de jornal de referência com responsabilidades na formação de opinião pública dirigente. A QUARIA NEWS respeita o normativo da Constituição da República, segundo o qual o exercico dos direitos de liberdade de expressão e informação, "não pode ser impedido ou limitado por qualquer tipo de censura", entendendo-se por censura a sonegação ilícita de informações, por razões políticas ou outras, e não a necessária e legitima seleção de notícias e artigos de opinião. A QUARIA NEWS assegura, nas suas páginas, a possibilidade de expressão e confronto das diversas correntes de opinião existentes no País, mas não se esquece que o bom Jornalismo se faz com o trabalho dos jornalistas e dos editores. QUARIA NEWS produz um jornalismo apartidario, crítico e independente, cultivando o contraditório como método inalienável. QUARIA NEWS verifica, escrupulosamente, as fontes noticiosas utilizadas e procura identifica-las com precisão, reservando-se o direito de analisar caso a caso, as circunstâncias excepcionais que possam justificar o recurso nos termos da lei, à respectiva confidencialidade, constituindo-se o jornal em grande da sua autencidade. QUARIA NEWS estabelece, rigorisamente, a distinção entre notícias e comentários, na base do princípio de que" os factos são sagrados, os comentários são livres", sem prejuízo da necessidade de ordenar, relacionar e explicar os acontecimentos relatados. A QUARIA NEWS assume responsabidade de emitir opinião própria, através de editoriais assinados pela Direcção, sempre de acordo com a linha editorial, que se define pelas seguintes caracteristicas: *Hierarquiza o seu noticiário segundo critérios de natureza jornalística, procurando avaliar a sua importância relativa, com a objectividade possivel e não consoante apriorismo ideológicos; *Respeita um conceito de seriedade jornalistica e não cede ao apelo fácil do sensacionalismo, que procede através da expansão do escândalo político, do crime e do sexo, apesar de ter conhecimento dos benefícios possiveis em termos de mercado de leitura. * Repugna o jornalismo do tipo confidencial, que não exista perante a devassa á intimidade da vida privada dos cidadãos nacionais ou residentes do mesmo modo que se recusa a conduzir campanhas com objectivos de denigrir a reputação de pessoas ou instituições. A QUARIA NEWS consagra particular atenção, na linha que é tradicional, ao noticiário e a divulgação cultural, e procurarmos manter as suas colunas abertas a colaboração das personaludades de maior relevo a cultura Moçambicana. A QUARIA NEWS garante a seus profissionais de jornalismo, o pleno respeito pelos princípios éticos de imprensa, consagrados no Estatuto do Jornalista e no Código Deontologico da profissao e reconhece a importância da acção do Conselho de Redação, para a respectiva salvaguarda. QUARIA NEWS segue a orientação definida nos termos da Lei 18/91 de 10 de Agosto, pelo seu Director e por este Estatuto Editorial, tendo como limites os princípios consagrados na constituição.

Artigos relacionados

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo